Apelos feitos pelos moradores da vila Amazônia, levou a equipe do jornalismo Alvorada a visitar na tarde de segunda-feira, 08.09, aquela localidade.

Os moradores aproveitaram a presença da equipe para relatar os vários problemas que a Vila enfrenta, entre eles, a falta de iluminação pública, que contribui com a criminalidade no período da noite.

A falta de remédios no posto de saúde Padre Francisco Lupino, também foi destacada pelos comunitários.

 As ruas estão comprometidas, além da falta de pavimentação, as crateras que se formam prejudicam os moradores e a poeira ocasionada pelo vai e vem dos veículos, invade as residências deixando pessoas com problemas respiratórios.

Em caso de doença o jeito é remover o paciente às pressas para Parintins e quando não há passagens o problema aumenta, pois o serviço de ambulancha não existe.

Quanto a iluminação pública, o problema é sério, segundo o morador Elizeu Silva, pois além de pagar por um serviço que não existe, os moradores tem que conviver com o medo de assaltos na escuridão.

Outro problema segundo Elizeu, é a poeira que toma conta das casas. Quando passa um caminhão ou até mesmo uma motocicleta ninguém consegue ficar na frente das suas casas, mas se as ruas estivessem asfaltadas minimizavam o problema reclama o morador.

Sobre o Posto de Saúde Padre Francisco Lupino, até que existe atendimento, mas não adianta muita coisa se não há medicamento. Isso, a reportagem Alvorada pode comprovar ao registrar as prateleiras do Posto de Saúde praticamente vazias.

Da Redação, Cleimer Carneiro