A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) é presente em Parintins desde o ano de 1989, com cursos modulados, mas se efetivou em 24 de setembro de 2007, com a implantação definitiva do Instituto de Ciências Sociais, Educação e Zootecnia (Icsez). Os 10 anos de história do Campus de Parintins entrosaram professores dos sete cursos de graduação: Administração, Artes Visuais, Comunicação Social – Jornalismo, Educação Física, Serviço Social, Pedagogia e Zootecnia, em coletiva de imprensa, na sala de reuniões do Icsez, nesta quinta-feira, 28.

A mesa redonda traçou um panorama histórico da trajetória da universidade em Parintins, com a participação de técnicos do Icsez, além de ex-alunos representantes das primeiras turmas dos cursos de pedagogia e jornalismo. “Nesses 10 anos, o Icsez tem prestado relevante serviço para a comunidade do Baixo e Médio Amazonas, em especial Parintins”, afirmou o diretor do Instituto, professor Dr. José Luiz Pereira, ao mencionar o nome do ex-reitor, Himdenberg Frota, que estabeleceu a Ufam em Parintins, no ano de 2007.

Felicissímo Barbosa

Felicissímo Barbosa

O professor aposentado Felicissímo Barbosa recordou que ano de 1989 a Ufam chegou a Parintins, com cursos modulados, com o chamado Campus Avançado. “Oficialmente, a Universidade Federal do Amazonas começa em Parintins em 1989, com seis cursos e com a área de saúde. Naquela época, a universidade já oferecia também cursos de especialização como tecnologia educacional, desenvolvimento sustentável. Foi um início um pouco duro, porque a universidade participava do projeto Norte de Interiorização e teria que sair da capital. Esse processo de interiorização inicia em 1989 com atividades de ensino, pesquisa e extensão”, recordou.

O técnico de laboratório e membro do primeiro Conselho Diretor, Walcemir Costa, elencou os desafios enfrentados para a implantação do Icsez como a mobilização da comunidade com mais de 100 mil assinaturas, pois o processo de interiorização da Ufam contemplava somente Coari, Benjamin Constant e Humaitá. “Essa luta foi feita através de muitas pessoas que passaram por aqui, entre técnicos, alunos e professores. Cada um tem um tijolo nessa construção e se dedicaram de forma particular. No prédio da Ufam, no centro, foi onde tudo começou. Ali é uma parte histórica que não devemos esquecer”, citou.

O professor do curso de administração, Alberto Ferreira, disse que com a efetivação do Campus da Ufam em Parintins o Baixo Amazonas vive mudanças, com o desenvolvimento econômico da região. “A universidade reescreve a história desse Amazonas. Estamos em fase de consolidação e ampliação. O modelo econômico desenvolvido aqui no Amazonas está baseado no Polo Industrial de Manaus e por questões de globalização ele não apresenta sustentabilidade. Então, nós temos um interior do Amazonas que não foi desenvolvido nem socialmente nem economicamente” avaliou.

Ufam comemora 10 anos do Icsez em Parintins (2)

O radialista Aderaldo Reis sonhava em ter curso de graduação e passou em 6º lugar para pedagogia, no qual teve a oportunidade de integrar a primeira turma. “Nós começamos a construir essa história. Conseguimos trazer a universidade a Parintins, com um grupo de estudantes, acadêmicos e a comunidade parintinenses. A universidade transformou nossa cidade. Na ocasião da inauguração do porto em 2006, um grupo chegou a mim para que intermediasse uma conversa com o então governador e um ministro para a entrega um abaixo assinado. Pedi que me acompanhassem no momento da entrevista e foi assim. Dois meses depois, tivemos a notícia de que o presidente da República tinha aprovado a implantação do Campus da Ufam em Parintins. Tudo é fruto de luta e reivindicação”, lembrou.

Texto: Gerlean Brasil
Fotos: Glenda Dineli