O Sistema Alvorada de Comunicação, visando orientar o eleitor para a escolha do candidato que irá representá-lo na Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) e Câmara Federal, irá promover um programa de entrevista com os dez políticos que mantém domicílio eleitoral e ligação com o município de Parintins.

Para as eleições gerais deste ano, que acontecerão no dia 7 de outubro, primeiro turno, dez nomes estão em evidência, entre eles: Marcileni Santos (PMN), Tony Medeiros (PSD), Juscelino Manso (PSB), João Pedro Gonçalves (PT), Maria Alencar (a Nêga) (PSD), Rossy Amoedo (Solidariedade), Saullo Vianna (PPS), Alessandro Souza (PRTB), Sabá Reis (PR), todos para deputado estadual.

O único nome parintinense que concorre um assento na Câmara Federal é o do empresário do setor naval Dodozinho Carvalho.

Nesta semana, a direção da emissora juntamente com os coordenadores de jornalismo, de programação e comercial definiram as regras que irão nortear os entrevistados. O formato do programa também já foi previamente estabelecido, sendo tempo de apresentação do programa do candidato, tempos das perguntas e respostas e considerações finais.

A direção da emissora, por meio do diretor Padre Carlos Caridade, deverá apresentar à juíza eleitoral, Larissa Padrilha Roriz Penna,o projeto contendo as motivações que levam a rádio Alvorada a veicular os programas políticos.

O diretor do Sistema Alvorada, padre Carlos Caridade, destaca o objetivo dos programas de entrevistas que serão levados ao ar todas as segundas, quartas e sextas-feiras, com exceção da Semana da Pátria.

“É uma oportunidade muito boa para conhecer as propostas dos candidatos e aquilo que ele quer trazer para Parintins. Não importa o cargo que ele concorrerá, seja à Câmara Estadual ou Federal, mas o importante é que esse candidato traga propostas concretas para a vida do nosso povo, na área da educação, saúde e cultura. É importante que esse deputado venha trabalhar para o bem de Parintins”, comenta o padre Caridade.

Padre Carlos destaca que a Igreja Católica, em suas cartilhas de orientação ao eleitor, prima pelo voto consciente.

“Nós temos falado sobre isso e a Igreja, em suas cartilhas, orienta para que o voto seja consciente, e não um voto vendido, e para isso, temos que conhecer os candidatos. Essa proposta é muito boa e apresentaremos aos candidatos para que venham apresentar suas propostas” disse Padre Carlos Caridade.

Red.: Neudson Corrêa