Que tipo de mundo queremos deixar a quem vai suceder-nos, às crianças que estão a crescer?” Esta pergunta é o âmago da Laudato si’, Encíclica do Papa Francisco sobre a terra comum, na qual o pontífice trata de algumas preocupações sobre a Amazônia.

Nesse sentido, quatro órgãos da Igreja Católica se uniram para criar a Rede Eclesial Pan Amazônica – Repam, sendo eles: o CELAM: Conselho Episcopal Latino Americano; a Confederação Latino Americano e Caribenho de Religiosos; a Cáritas Internacional e a CNBB: Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a CNBB.

A Repam promove nos estados da Amazônia Brasileira e Amazônia Internacional seminários para divulgar a Laudato Si e discutir ações em prol da Amazônia.

Irmã Lúcia Dabella Marinho, da Congregação das Irmãs da Imaculada e que atua na Diocese de Parintins, destaca as preocupações do papa Francisco sobre a Amazônia e pertinentes ao mundo.

Ao falar da Encíclica Evangelii Gaudium ( a Alegria do evangelho), a missionária afirma que veio em boa hora para mudar a história da igreja.

Da Redação, Ednilson Maciel