Roma (RV) – Organizações de inspiração religiosa estão reunidas em Roma para debater diagnóstico precoce e tratamento de crianças que vivem com o vírus HIV.

No ano passado, a Agência da ONU que trata do vírus (Unaids) anunciou a conquista de uma meta mundial ao conseguir proporcionar tratamento antirretroviral a 15 milhões de pessoas. Todavia, somente 1/3 das crianças que vivem com o HIV recebem o diagnóstico e os cuidados necessários.

A convite da Caritas Internacional, especialistas no tema estão traçando no Hospital Pediátrico “Bambino Gesù” as bases para um projeto de ampliação do diagnóstico infantil e o tratamento da Aids.

A Caritas Internacional considera que as organizações de inspiração religiosa constituem uma ampla rede comunitária e são essenciais para o cuidado das crianças e das mães que convivem com o vírus. Participam deste encontro de três dias de duração (até 13/04) o Diretor Adjunto dos Programas da Unaids, o brasileiro Dr. Luiz Loures, o Arcebispo de Abuja (Nigéria), Card. John Onaiyekan, cientistas, advogados comprometidos com a ampliação do acesso ao tratamento para crianças, além de representantes de organizações de inspiração católica, de organizações ecumênicas e inter-religiosas implicadas no tratamento de pessoas infectadas com o HIV.

Pastoral da AIDS no Brasil

Enquanto isso, o tema da Aids também será submetido à atenção dos Bispos que participam da Assembleia da CNBB em Aparecida. O referencial da Pastoral da Aids no Brasil, Dom Eugênio Rixen, Bispo de Goiás, falará em plenário sobre as atividades dos agentes e voluntários que atuam há 14 anos em grande parte do território brasileiro. “A Pastoral da Aids obedece à lógica do bom samaritano, disse ele em entrevista a Silvonei José. “É a Pastoral do acompanhamento e não da condenação.”

Fonte: CNBB