O Ministério das Relações Exteriores poderá ser a salvação do Festival Folclórico de Parintins, que neste ano perdeu o patrocínio do Governo do Estado e de empresas privadas que há muito apoiavam a disputa folclórica entre Garantido e Caprichoso.

O dinheiro poderá sair via Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), empresa terceirizada controlada pelo Itamaraty.

Segundo sites regionais há uma articulação feita por parlamentares da bancada federal do Amazonas junto ao chanceler José Serra. A reivindicação é de R$ 15 milhões da agência, que tem por finalidade de sua atuação promover os produtos e serviços brasileiros no exterior.

Os parlamentares sabem que a missão de tirar dinheiro do governo federal neste momento de crise é difícil, mas apostam em Serra, pintado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em seu livro “Diários da Presidência”, como inimigo do Amazonas, por causa das ações que fez como então ministro do Planejamento contra a Zona Franca de Manaus.

A ajuda ao festival de Parintins, dessa forma, seria uma oportunidade para ele se reposicionar no estado. Tanto seria uma oportunidade que ele estaria sendo convencido a vir ao Amazonas para visitar o Polo Industrial e participar do festival dos bumbás. Ele já participou do evento no ano de 2010.

A resposta ao pedido dos R$ 15 milhões deve sair na próxima semana.

Com informações do Blog do Jornalista Neuton Corrêa