Atendendo solicitação de uma promotora da capital, que investiga através de Inquérito Civil Público, a precariedade da saúde no Estado abrangendo Parintins, a promotora Carolina Monteiro da 3ª Promotoria de Justiça de Parintins realizou fiscalização nos hospitais da cidade e constatou que alguns equipamentos para exames estão inutilizados.

Porém, a atribuição da fiscalização às unidades de saúde é de competência da 2ª Promotoria Pública, que antes era comandada pelo promotor André Seffair, transferido para Manaus a cerca de dois anos.

A promotora Carolina Maia constatou uma situação que requer atenção dos poderes constituídos no município e no Estado.  O descaso com a saúde em todo o estado é visível quando numa cidade com o porte de Parintins, alguns serviços básicos não são realizados por falta de equipamentos ou mesmo manutenção.

Da Redação, Neudson Corrêa