A cidade de Parintins que é a segunda maior cidade do Estado do Amazonas ficou de fora da passagem da Tocha Olímpica, a informação foi confirmada ontem pelo Comitê Organizados do Rio 2016, que confirmou as cidades de Manaus, Iranduba e Presidente Figueiredo como percurso da pira olímpica.

Em 2015 um imbróglio até hoje não explicado entre a secretaria de Cultura de Parintins e o gabinete do prefeito Alexandre da Carbrás, que receberam a carta do Comitê Olímpico com o caderno de encargos e recomendação sobre os procedimentos para receber a pira olímpica foi recusado, pois na época alegou-se que o município estava sem dinheiro para custear a logística de infra estrutura da passagem do fogo olímpico na terra de Caprichoso e Garantido.

Depois do levante da população o próprio prefeito Alexandre da Carbrás voltou atrás e  foi em busca de informações junto ao Comitê organizador de como Parintins poderia ser reincluída no trajeto, que o município havia recusado , porém o cronograma já havia sido definido e outras cidades do Amazonas já estavam interessadas no evento.

Segundo informações do  O Comitê Organizador Rio 2016 anunciou o roteiro completo do revezamento da tocha olímpica no Brasil, onde passará por 329 cidades, durante 95 dias, até chegar ao Rio de Janeiro. No Amazonas, três municípios foram contemplados: Manaus, Iranduba e Presidente Figueiredo, nos dias 19 e 20 de junho. Na capital, a chama percorrerá 40 quilômetros e contará com mais de 200 carregadores.

Na ocasião, o Rio 2016 também divulgou a identidade de alguns dos primeiros condutores da tocha. Entre os atletas amazonenses estão o arqueiro indígena Gustavo dos Santos, a judoca Rita de Cássia e o destaque do Estado no lançamento de dardo, Pedro Henrique Nunes. Ao todo, 2,4 mil pessoas terão a oportunidade de conduzir o ícone Olímpico, no Brasil, e 12 mil no mundo.

*com informações de parintinsesportes.com.br