Ocorrido no domingo de Páscoa, o atentado no Paquistão deixou 72 mortos e 359 feridos

O papa Francisco condenou o atentado que deixou cerca de 72 mortos e 359 feridos em Lahore, no Paquistão, no domingo, 27. Após recitar a oração mariana do Regina Coeli, na segunda-feira, o papa disse que a Páscoa “foi ensanguentada por um execrável atentado que provou uma tragédia para tantas pessoas inocentes, a maior parte famílias da minoria cristã, principalmente mulheres e crianças, reunidas em um parque público para passar com alegria a festa pascal”.

O atentado foi provocado por um homem-bomba e aconteceu em um parque público. O local estava movimentado por famílias e crianças que aproveitavam o feriado da Páscoa. “Desejo manifestar minha proximidade a quantos foram atingidos por este crime vil e insensato”, disse o papa, ao rezar junto com os fiéis na Praça São Pedro pelas numerosas vítimas e por suas famílias.

Francisco fez um apelo ainda às autoridades civis e a todos os componentes sociais do Paquistão, “para que não meçam esforços para proporcionar segurança e serenidade à população e, em particular, às minorias religiosas mais vulneráveis”. Ainda de acordo com o pontífice, a violência e o ódio homicida conduzem somente à dor e à destruição. “O respeito e a fraternidade são a única estrada para se chegar à paz”, advertiu.

Iraque

Na última sexta-feira, 25, o estádio de futebol de Iskandariyah, no Iraque, perto de Bagdá, também sofreu um atentado terrorista que causou a morte de pelo menos 40 pessoas e deixou cerca de 60 feridos. No telegrama, assinado pelo Secretário de Estado, cardeal Pietro Parolin, o papa manifestou suas condolências e rezou pelas vítimas e seus familiares.

O pontífice reza também para que, em resposta a essa ação de violência insensata, o povo iraquiano seja determinado em rejeitar os caminhos do ódio, do conflito e trabalhe unido, sem medo, por um futuro baseado no respeito recíproco, na solidariedade e liberdade.

Fonte: CNBB