No dia Mundial do Meio Ambiente, moradores do Projeto de Assentamento Vila Amazônia, área na divisa com o Estado do Pará voltam a denunciar a exploração de madeira. Segundo o líder comunitário e presidente do Conselho dos Assentados de Vila Amazônia (Coagva), Raimundo Rocha, milhares de metros cúbicos de madeira são transportados todos  os dias em grandes carretas.

“É um verdadeiro assalto à  floresta amazônica. Sem que uma providência seja tomada pelas autoridades. Enquanto nossa riqueza é retirada, o povo da região vive à míngua, na miséria sem estrada, sem assistência técnica”, comentou revoltado o presidente do Coagva, Raimundo Rocha.

Por outro lado, disse Rocha, “o Brasil recebe  milhões de dólares do Fundo Amazônia para preservar o que na verdade está sendo  destruído na Amazônia. É preciso que o Brasil e o mundo tomem conhecimento do que acontece nessa parte da região Norte”.

Para chegar ao local onde está havendo o desmatamento e conseqüentemente a destruição da natureza, o caminho mais próximo é pelo ramal Santa Fé do Zé Açu.

Red.: Neudson Corrêa