Em contato com o Jornalismo Alvorada, moradores de comunidades de Vila Amazônia anunciam para quinta-feira, dia dois de agosto, um mutirão para tentar amenizar os problemas de buracos e crateras nas estradas da Gleba.

As estradas apresentam problemas críticos de intrafegabilidade, pondo em risco a integridade física de toda a comunidade da Gleba da Vila Amazônia que depende das estradas para acesso digno na área de saúde, escoamento da safra, acesso digno ao ensino e ao comércio local.

De acordo com o morador da região conhecida como Laguinho, agricultor, Gigi Guimarães, relata as condições pelas quais passam os moradores.

“Não temos atenção voltadas para este setor primário. Nós estamos precisando da recuperação dessa estrada urgente. Os políticos sempre prometem, mas não cumprem nada. Eu sinto vergonha desse atual prefeito, pois é compromisso dele visitar o setor primário e averiguar a situação das estradas, para haver movimento no escoamento da nossa produção. Nós já realizamos quatro mutirões nos trechos mais críticos, e vamos realizar mais um, na quinta-feira(02). Convido a todos que quiserem ajudar com comida, com saca, com apoio. Estamos fazendo isso, pois necessitamos da estrada”, disse o agricultor.

As estradas da Gleba de Vila Amazônia servem ainda para o trânsito de pessoas, de veículos automotores leves e pesados e principalmente para o escoamento da produção agropecuária e ao transporte de alunos residentes na área da Gleba da Vila Amazônia e que estudam nas escolas das comunidades e em Parintins.

Segundo o comunitário, a situação ocasiona danos e prejuízos econômicos e sociais para os moradores e o município esquece-se de sua responsabilidade. Por isso se não houver nenhuma ação concreta, os moradores pretendem vir a Parintins e ocupar prédios públicos em sinal de protesto.

“Mais uma vez, pedimos apoio para o nosso setor primário. Nós abastecemos a cidade e pedimos para que olhem nossa situação. Toda nossa produção é destinada para o município de Parintins”, disse Gigi.

Red.: Ednilson Maciel