Caminhar não se restringe à apenas chegar a algum lugar. A atividade torna o pedestre fisicamente ativo, gerando benefícios na qualidade de vida, e colabora na redução de gastos em transportes. Porém, é preciso considerar alguns cuidados na hora de adotar os pés como meio de transporte nos principais cruzamentos do centro de Parintins.

Pessoas que utilizam folguedos, terçados e outros objetos fazem da faixa do pedestre local para apresentações e assim ganhar alguns ‘trocados’ dos motoristas que estão na espera de abrir o sinal.

Mas por medida de segurança e para colocar em vigor a lei de trânsito, a Empresa Municipal de Trânsito e Transporte, a EMTT, começa a agir para evitar apresentações que coloquem em risco a segurança das pessoas.

De acordo com o diretor presidente da EMTT, Álvaro Cerdeira, o artigo 254 do Código de Trânsito Brasileiro determina algumas proibições, entre elas esse tipo de atividade.

Art. 254. É proibido ao pedestre:

I – permanecer ou andar nas pistas de rolamento, exceto para cruzá-las onde for permitido;

II – cruzar pistas de rolamento nos viadutos, pontes, ou túneis, salvo onde exista permissão;

III – atravessar a via dentro das áreas de cruzamento, salvo quando houver sinalização para esse fim;

IV – utilizar-se da via em agrupamentos capazes de perturbar o trânsito, ou para a prática de qualquer folguedo, esporte, desfiles e similares, salvo em casos especiais e com a devida licença da autoridade competente;

“Parintins é a única cidade no Amazonas a cobrar o cumprimento deste artigo, nem mesmo a capital Manaus exerce esse cuidado. Em Fortaleza-CE, devido a diversos acidentes, também já esta se adotando tais medidas”, explica Cerdeira.

Red.: Ednilson Maciel