O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral de Parintins e movimentos sociais protocolaram hoje na Câmara Municipal de Parintins o pedido de cassação dos vereadores afastados Everaldo Batista (Pros) e Raimundo Teixeira Cardoso, o Cabeça (PMDB).

A comissão entregou à presidente da casa legislativa, vereadora Karine Brito, um abaixo assinado com mais de mil assinaturas pedindo a cassação dos dois parlamentares por quebra de decoro.

Os dois vereadores foram afastados pela Justiça pela prática de falsidade ideológica, estelionato e peculato.

Cabeça teria falsificado documento público, repassando o auxílio-gasolina, pelo valor de 10.000,00 a uma terceira pessoa. Depois, o mesmo deixou de entregar o combustível para o comprador. O presidente da Câmara de Parintins, Everaldo Batista, teria participado dos crimes, acobertando a fraude.

O presidente do Movimento de Combate à corrupção, Alexsandro Medeiros, informou que o pedido é baseado no crime de falta de decoro parlamentar. “Nós podemos ficar de braços cruzados. Com base na ação do MPE que pediu o afastamento dos dois vereadores estamos cobrando da casa a cassação dos vereadores por quebra de decoro parlamentar, pois ficou configurado segundo o próprio regimento interno e estamos aqui com mais de mil assinaturas”, afirmou.

O professor Elizeu Souza, do comitê de combate à corrupção da UEA, também destacou a iniciativa popular. Para ele a denuncia configura o desvio de conduta dos parlamentares. “Estamos vivendo um momento importante da mobilização nacional também em Parintins porque eu acredito que nós chegamos ao estágio de amadurecimento em que não é possível mais nós aceitarmos a postura daqueles que se dizem nossos representantes de fazerem tudo o que quiserem”, disse ele afirmando que a população vai cobrar políticos realmente comprometidos com o povo.

A vereadora Karine Brito recebeu o pedido no plenário da Câmara e explicou que o documento deve ser lido na próxima sessão da casa, ou seja, esta terça-feira. “Nós vamos apresentar essa denuncia pra comissão de ética. Eles terão o prazo de cinco dias para iniciar os trabalhos e dez dias para ouvir os processados”, anunciou.

Conselho

Por outro lado, de acordo com informações publicadas nesta segunda-feira pelo Blog Parintins Amazonas os vereadores Everaldo Batista (Pros) e Rai Cardoso, o Cabeça (PMDB) estariam sendo orientados a renunciar os seus respectivos mandatos.

De acordo com a publicação um grupo de parlamentares reuniu na semana que passou e acredita que essa é a melhor saída para evitar que numa possível condenação na justiça os edis tenham que cassar o mandato de ambos. Além disso, tentam evitar maiores desgastes com a imagem do legislativo municipal que já estaria muito arranhada.