A Comissão da Pastoral da Terra da Diocese de Parintins realiza no dia 5 deste mês, próximo domingo, na comunidade São Pedro do Marajó, rio Uaicurapá, “Encontro de Formação sobre Espiritualidade da Terra, Realidade Agrária Brasileira e Questões Fundiárias Para Trabalhadores Rurais das Comunidades Católicas, Evangélicas e demais denominações religiosas”.

O encontro reunirá moradores das comunidades pertencentes os rios Uaicurapá, Jacu (lado direito do rio Mamuru), Igarapé Açu e integrantes da Área da Gleba Vila Amazônia que moram nos rios Tracajá e Mamuru, que não participaram da formação na comunidade de Nazaré, na região do Zé Açu, no mês de junho.

De acordo com a irmã Lúcia Dabella Marinho, coordenadora da Cáritas Diocesana, cada comunidade pode mandar dois representantes que tenham participação bíblica, religiosa e social na vida da comunidade.

O “Encontro de Formação sobre Realidade Agrária Brasileira e Questões Fundiárias”, que será na comunidade São Pedro do Marajó, tem início logo após o culto dominical indo até às 16 horas.

Pela manhã, sob o comando da professora doutora Mônica Xavier da UEA, será abordado o tema “A realidade agrária brasileira e a questão fundiária”.

À tarde a professora Rosineth, vai traçar um histórico da CPT. A professora Ernestina – CDDH e CPT – será a responsável pela temática “Espiritualidade da Terra”.

Conforme a irmã Lúcia Dabella Marinho à tarde haverá a criação e organização do grupo da CPT da área do Rio Uaicurapá e comunidades próximas.

A coordenação do evento solicita que cada participante deverá levar sua alimentação para ser partilhada nos horários das refeições.

Irmã Lúcia Dabella disse que “é papel da CPT e da Igreja prevenir e combater os conflitos agrários, se empenhar pela sustentabilidade da terra e sua biodiversidade. Querer uma vida saudável para todos por meio da agroecologia”.

À noite desse mesmo dia, em Parintins, haverá o primeiro encontro de formação sobre Políticas Públicas na paróquia de São Sebastião com início às 19hs.

Red.: Neudson Corrêa