A Associação dos Catadores de Lixo de Parintins (ASCALPIN) está enfrentando um sério risco de ser despejada do local onde está reciclando material há mais de dez anos.

São mais de 10 catadores que sobrevivem da profissão e caso a notícia de despejo seja oficializada, mais de 15 toneladas de material recolhido nas ruas de Parintins, tendem a ir parar no meio da Rua Boulevard 14 de Maio.

Tereza Casimiro é catadora há mais de dez anos. Ela disse que catar lixo já lhe deu um bom lucro, porém hoje com a presença das empresas privadas, a produção caiu bastante assim como sua a renda.

A catadora aproveitou a reportagem para abordar o assunto que tem deixado os demais trabalhadores preocupados. O local onde eles estão trabalhando pertence à Secretaria de Produção (SEPROR) e o prédio já foi solicitado.

Dona Tereza disse estar preocupada, pois ele não tem para onde ir. “Já vieram para despejar a gente. Trouxeram até o documento para a vice-presidente assinar, mas ela não assinou. Continuamos aqui até a hora que entrarem com os tratores para barrar a gente, depois não sabemos mais o que fazer. Vamos para a rua mesmo”, disse Tereza.

Red.: Cleimer Carneiro