O Cartório Eleitoral da 4ª Zona iniciou a fase de teste do processo biométrico para os eleitores do município. De acordo com o técnico judiciário do órgão, Marivaldo Chaves, o cadastramento de biometria ainda não e obrigatório, porém é uma forma de assegurar aos servidores do órgão uma melhor manipulação da nova ferramenta que será utilizada nas próximas eleições em Parintins.

Marivaldo informou que o Cartório Eleitoral aguarda a data que o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) irá informar o período que os eleitores serão convocados a fazer o cadastramento biométrico.

Para fazer o cadastramento, o eleitor deve estar munido de cópia de qualquer documento que contenha foto e cópia do comprovante de residência atualizados.

A tecnologia permite identificar uma pessoa por suas características biológicas únicas, ou seja, elementos corporais que tenham diferenças particulares como a íris, a retina, a impressão digital, a voz, o formato do rosto e o formato da mão.

A segurança do voto é um dos pilares para o exercício da cidadania. Para garantir esse direito, inúmeras tecnologias são desenvolvidas pela Justiça Eleitoral, entre elas, as urnas biométricas que processam o voto a partir da identificação biométrica do eleitor.

Todo sistema biométrico é preparado para reconhecer, verificar ou identificar uma pessoa que foi previamente cadastrada. Parintins por ser o maior colégio eleitoral do interior do Estado com 64.045 eleitores deve ampliar o processo obrigatório no início de 2017.

Da Redação, Neudson Corrêa